Maconha pode desfazer mudanças crônicas nas articulações

Boas notícias para 54 milhões de pessoas que sofrem de artrite: a Sociedade da Artrite encomendou pesquisas examinando a possibilidade de desenvolver terapias inovadoras usando maconha medicinal.

O pesquisador canadense Dr. Jason McDougall recebeu uma bolsa estratégica da organização para completar três anos de pesquisa sobre a eficácia da cannabis no tratamento de doenças articulares crônicas. McDougall é professor de farmacologia e anestesiologia na Universidade Dalhousie em Halifax, Nova Escócia e um dos principais pesquisadores de dor do mundo.

O estudo tem como objetivo determinar se os medicamentos à base de cannabis causam mais do que apenas a dor da artrite, ou se podem realmente desfazer a doença. Jesté o primeiro estudo financiado pela organização, diretamente sobre terapias à base de maconha medicinal.

“As pessoas que vivem com dor nas articulações estão procurando alternativas para melhorar sua qualidade de vida”, disse Janet Yale, presidente e CEO da The Arthritis Society. “Precisamos de pesquisas para ajudar a responder muitas perguntas importantes sobre a maconha medicinal e seu uso. Nosso objetivo é fornecer aos canadenses a oportunidade de fazer escolhas informadas sobre as opções de tratamento e fornecer aos médicos orientações baseadas em evidências para que eles possam recomendar o tratamento aos seus pacientes. Este projeto é um passo importante para alcançar esses objetivos. “

A pesquisa baseia-se em trabalhos anteriores de cientistas chineses que descobriram que as articulações afetadas pela artrite não só contêm concentrações extremamente altas de receptores CB2, mas que esses locais também sugerem um caminho de tratamento.

O que é um receptor CB2? Em grande parte, CB2 é uma molécula na parede celular, que é uma espécie de transição para canabinóides para o interior de uma célula. Esta é a maneira pela qual as células significam moléculas úteis circulando umas com as outras durante o funcionamento diário do corpo.

iStock 1015542200 | www.greenhemp.pl

Enquanto o corpo produz seus próprios endocanabinóides que podem anexar e trabalhar na célula através de receptores CB2, drogas à base de cannabis também têm a capacidade de passar pela mesma porta. Os pesquisadores acreditam que essa pode ser a razão pela qual a cannabis é eficaz no tratamento de distúrbios como a artrite reumatoide.

O pensamento é o seguinte: se uma droga à base de maconha pode usar receptores CB2 para se mover dentro das células e afetar diretamente os sinais de dor nas articulações, também pode reparar danos articulares?

Há muitas razões para acreditar nisso.

Um estudo publicado na revista Philosophical Transactions na Royal Society B mostrou que o sistema endocanabinoide do corpo, usando canabinoides administrados externamente, libera antioxidantes que ajudam a reparar células danificadas.

Evidências anedóticas, como a história de uma mulher do Maine que, ao beber coquetéis de maconha, levou à remissão de sintomas de artrite reumatoide, fornece mais justificativas instigantes para explorar opções de tratamento de cannabis.

Além disso, as empresas seguem a moda. Empresas canadenses de maconha medicinal – Aphria, Inc. e o projeto Peace Naturals – comprometido em doar US$ 100.000 para a Arthritis Company para ajudar a cobrir os custos de pesquisa do Dr. McDougall. Quando o mercado pressiona por novas pesquisas, é um bom sinal para quem sofre.

Na verdade, os receptores canabinóides desempenham um papel fundamental na regulação do sistema imunológico do corpo. Não está claro como eles funcionam. Do ponto de vista estritamente biológico, doenças autoimunes como artrite reumatoide e doenças crônicas como a osteoartrite não fazem muito sentido. Por que o corpo deve atacar a si mesmo ou não ser capaz de reparar funções tão importantes como a mobilidade articular? A descoberta de receptores canabinoides em locais inflamatórios pode fornecer respostas.

Graças a uma longa lista de trabalhos anteriores no campo, a equipe de McDougall já sabe que as drogas à base de cannabis agem diretamente em locais de CB2 e suprimem inflamações e dores por respostas imunes mediadas em locais de inflamação. Isso sugere que o corpo alcança as moléculas para ajudar a reconstruir seus elementos essenciais.

marijuana legalisation e1555014639629 | www.greenhemp.pl

O próximo passo será verificar se as mudanças nas drogas provocam diferentes reações no corpo. Se os cientistas descobrirem outras maneiras de os receptores canabinóides tomarem ou usarem drogas, isso pode criar novos tratamentos. Grande parte do conhecimento que temos atualmente é teórico, e a maioria dos médicos e pacientes são simplesmente gratos pelo tratamento eficaz da dor – seja ela entendida ou não.

No entanto, à medida que desenvolvemos nosso conhecimento do sistema endocanabinóide do corpo e exploramos ainda mais maneiras pelas quais as drogas à base de cannabis reduzem a inflamação e afetam o sistema nervoso, provavelmente descobriremos novos tratamentos e opções para reverter os danos articulares a longo prazo.

A pesquisa de McDougall ainda não terminou, mas os resultados são esperados em breve.

Fonte: fibrowomen.com

Tradução: Kasia Kurzawa